Cidade mais festiva dos Países Baixos é museu a céu aberto

 

Localizada a sudoeste da Holanda e à uma hora de trem de Amsterdã, a cidade de Roterdã é um museu a céu aberto. Até o final da década de 70, o local só tinha como referência sua zona portuária. Graças às políticas culturais e urbanas adotadas a partir de 1980, que privilegiam estudos arquitetônicos de fama internacional, Roterdã tem se destacado entre os destinos mais importantes da Europa.

Quem caminha pelas ruas da cidade encontra projetos arquitetônicos de tirar o fôlego. Destaque para a torre de telecomunicações das empresas KPN assinada por Renzo Piano, ou o recém-inaugurado De Rotterdam – o maior do país –, que leva a assinatura de Rem Koolhaas. A obra abriga o badalado hotel NHow, salas comerciais, apartamentos, bares e restaurantes.

Mas por que Roterdã vem chamando mais atenção do que a sua vizinha famosa, Amsterdã? Um plano diretor local determinou a revitalização de áreas degradadas e o planejamento de bairros novos com construções que trouxessem mais investidores para a cidade.

Com isso, designers e arquitetos renomados como Rem Koolhaas, Richard Hutten e Jurgen Bey escolheram Roterdã como cidade base para o trabalho que desenvolvem.

 

No roteiro de compras, lojas multimarcas e de design são as preferidas para os moradores e turistas. Impossível não passar (e comprar) produtos de design na badalada Groos.

Para comer, restaurantes de grife e pratos mais baratos se dividem entre os endereços gastronômicos mais badalados. Um antigo viaduto ferroviário se tornou o centro gastronômico preferido dos jovens. Os mais refinados lotam o FG Foods Labs, do master chef François Geurds. Vale conferir!

_____

Texto Jorge Paulinetti

Fotos Divulgação

Confira também: