No âmbito da Arquitetura, o quesito reprodução de cores tem uma relevância enorme na diferenciação de um Projeto, seja ele residencial, comercial ou, até mesmo, corporativo.

E cada vez mais, com a modernização dos conceitos utilizados na elaboração dos projetos de iluminação, esta relevância extrapola o âmbito dos destaques dos acabamentos dos objetos ou ambientes e entra definitivamente na vertente do bem estar das pessoas que frequentam o espaço.

Quando falamos em Reprodução de Cores, ainda hoje, muitos profissionais torcem um pouco o nariz para o LED, com uma discriminação à tecnologia certamente resultante de traumas recentes em seus projetos.

Infelizmente o LED entrou no mercado brasileiro, há mais ou menos 10 anos atrás, com o pé esquerdo! Com o pretexto da economia de energia, a qualificação da luz resultante foi realmente deixada para trás e o choque de percepção de cores pós lâmpadas halógenas foi imenso

Felizmente Projetistas, fabricantes e Importadores perceberam que havia realmente a necessidade e a demanda para produtos com qualidade de luz mais elevada e estão investindo bastante nestas diferenciações, deixando para trás os produtos que seguem a qualificação simplória exigida pelo INMETRO. No tocante ao Índice de Reprodução de Cor (IRC), por exemplo, enquanto o INMETRO ainda persiste no padrão de 80, muitos produtos já estão no mercado com índices 90 e 95, beirando a faixa de IRC 100 das antigas lâmpadas halógenas.

A evolução do LED foi tanta no tocante à percepção das cores nos últimos anos que a própria métrica IRC está cedendo espaço para uma nova métrica de percepção de cores, a chamada TM30-15, a qual além utilizar uma quantidade muito maior de cores para o teste comparativo, ainda oferece informações adicionais sobre saturação das cores, por exemplo.

Com esta nova padronização de verificação de reprodução de cores, a TM30-15, já existem no mercado nacional, produtos específicos para realçar os tons avermelhados das carnes num açougue ou mesmo os tons amarelos dos pães no setor de padaria de um hipermercado.

Com todas estas melhoras concretas oferecidas pela tecnologia LED temos duas certezas pela frente: O saudosismo pela halógenas está com seus dias contados e cada vez mais o mundo da Luminotécnica ganha ferramentas incríveis para aumentar significativamente nosso fascínio pela luz.

Umberto Boggian

Umberto Boggian é o Lighting Designer responsável pela VM Iluminação, uma empresa especializada no atendimento a escritórios de arquitetura, designers de interiores e construtoras, oferecendo soluções em: Projetos luminotécnicos - Consultoria em iluminação - Fornecimento de produtos - Desenvolvimento e fabricação de luminárias customizadas

Escreva um comentário